http://amorehumildade.org.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/arte p site 02gk-is-113.pnglink
http://amorehumildade.org.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/arte p site 01gk-is-113.pnglink
«
»
Loading…

Mensagens

O TER E O SER

“...Causa-me dolorosa impressão a vossa incessante preocupação com os bens materiais, enquanto dedicais tão pouca importância e consagrais tão reduzido tempo ao aperfeiçoamento moral...” – E.S.E. Cap. 16 (  item 12 )

No teu caminhar terreno esfalfa-te por acrescentar sempre algo mais às tuas aquisições materiais. Preocupas-te em demasia com o “ter”, desculpando-te por pensar nos dias de amanhã, para que nada te venha a faltar, nem aos teus.

Reconheces assim, que a vida exige de ti muito trabalho e, com isso sentes-te cansado e esgotado em tuas energias.

Ao invés de buscares com tânta ansia o “ter”, lembra-te também das aquisições espirituais que haverão de aformosear o teu “ser”, procurando a tua melhoria interior, libertando-te sobretudo do egoísmo que te leva a pensar somente nas tuas necessidades primordiais, sem te preocupares com as mínimas necessidades alheias.

Antes de “ter”, aprimora o teu “ser”. Sê bom, sê caridoso, distribuindo um pouco daquilo que hoje possas “ter”. Divide o pão que te serve à mesa, reparte com os nus a roupa esquecida no armário, dedica as tuas horas de descanso a levar um pouco de alegria para aqueles que vivem na solidão, ampara também os que sofrem, e ameniza a dor dos enfermos através de uma palavra de reconforto, de esperança e de fé.

Lembra-te sempre de que, tudo aquilo que possas acreditar como “ter”, na realidade são apenas empréstimos de Deus que te permite provisoriamente deles usufruir e fazer bom uso em favor do teu próximo.

Assim, filho meu, na tua jornada terrena perceberás que o “ter” já não te provocará tantas preocupações e não te despertará tantas ambições!

Esforça-te, porém, por “ser” um fiel servidor do Cristo, ao colocares em prática alguns dos seus ensinamentos, amando, perdoando e abençoando sempre, mesmo aqueles que se coloquem em teus caminhos, impedindo-te de mais poderes “ter”.

André Luiz, Francisco C. Xavier